sábado, 9 de julho de 2016

Macaúbas-BA: Agentes de Endemias estão 2 meses sem receber salários da prefeitura.

Foi realizada uma reunião na câmara de Vereadores de Macaúbas na quita-feira (07), com o Sindicato da Saúde (SINDSERVPMAC) e seus afiliados, Enfermeiros, Agentes de Endemias, SAMU, entre outros, juntamente com o advogado da classe, onde foi abordado alguns temas, tanto segurança no trabalho como falta de pagamento dos funcionários das categorias.

Segundo abordou o advogado, foi encaminhado ao MP uma ação, mandado de segurança para que a prefeitura cumpra com seus deveres em manter o pagamento em dia. Essa é uma das revindicação dos Agentes de Endemias, que estão com 2 meses sem receber salário da Prefeitura de Macaúbas.  

Segundo o advogado, o responsável, será notificado para que possa comparecer na Comarca de Macaúbas e dar suas explicações ao Promotor de Justiça. Pois essa semana, em sua fala, disse que tornaria procurar o MP e ver qual foi a decisão. Tanto o presidente da APLB de Macaúbas com apoio do Vereador Anderson Gumes, estão dando uma força, participando das reuniões, esclarecendo e tirando dúvidas. Lembrando, tudo que será feito em prol da classe, é documentado pelo presidente do sindicato, por outro lado, sabemos da importância do trabalho de campo realizado pelos agentes de endemias, mas a classe pretende entrar em greve na próxima semana, antes o secretário de saúde será comunicado e após sua decisão, talvez será feita a paralisação, caso não efetue os pagamentos em atraso. Após verificação nos recursos do Portal da Saúde (Fundo a Fundo) verificamos que várias verbas foram depositadas e não teria o porquê de tantos atrasos. 

Obs: Segundo o presidente do sindicato, o Secretário de Saúde foi convidado a comparecer na reunião, mas o mesmo em resposta estava cheio de problemas e não poderia comparecer, o convite foi feito para outros vereadores, mas só um estava presente.








Um comentário:

  1. Todas estas reivindicações como atraso salarial, desrespeito, abuso de poder por parte de alguns ainda existe a falta de condições de trabalho.

    ResponderExcluir

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK