quarta-feira, 27 de julho de 2016

Prefeito investigado por contratação de funcionários ‘fantasmas’ é encontrado morto.

O prefeito de Nova Olinda, Francisco Ronaldo Sampaio (PDT), foi encontrado morto, nesta quarta-feira (27), após desaparecer na Floresta Nacional do Araripe. A informação foi confirmada pelo vice-prefeito da cidade, Elízio Manoel Galdino (PMDB), conhecido popularmente como “Cabeludo”.

Ronaldo Sampaio sumiu no início da manhã, quando parou o veículo em que viajava na rodovia que liga os municípios de Crato e Nova Olinda. De acordo com informações da chefe de gabinete, Maria da Conceição Sampaio, a qual viajava com o prefeito, ele teria caminhado em direção à mata da floresta, sob a justificativa de que iria urinar e não voltou mais.

A chefe do gabinete esperou o regresso do prefeito e, cerca de uma hora após ele ter saído em direção à floresta, acionou a acionou a Polícia Ambiental e o Corpo de Bombeiros. O trabalho de buscas teve início por volta do meio-dia e, por volta das 14h45, a morte de Ronaldo Sampaio foi confirmada. O chefe do executivo de Nova Olinda deixa três filhas e sua namorada está grávida.

Investigação
Ronaldo Sampaio e o chefe de gabinete dos anos de 2014 e 2015, José Alyson dos Santos Silva, estão sendo investigado por suspeita de contratação de funcionário “fantasma”. Os dois foram, inclusive, afastados de suas funções por decisão judicial, motivada por uma ação civil pública proposta pelo Ministério do Estado do Ceará (MPCE), que instaurou processo contra o prefeito em novembro do ano passado.

Entre 2014 e 2015, Ronaldo empregou Viviane Chaves dos Santos, até então namorada dele, admitida como psicóloga do município, mesmo sem nunca ter ido trabalhar lá. Alyson foi indiciado no processo por ter forjado provas e tentado atrapalhar o curso das investigações. Além dos dois, está sendo acusado de ato de improbidade administrativa o secretário de Saúde de Nova Olinda, Pedro Neto de Sousa.

Além do afastamento, os bens do prefeito e dos demais envolvidos foram bloqueados como forma de “viabilizar as pretensões ressarcitória e indenizatória de Nova Olinda, município que ostenta um dos menores IDHs do Estado”. Também foi decretada a quebra dos sigilos bancário e fiscal no período de fevereiro de 2014 a setembro de 2015.
Devido ao processo de investigação, pessoas próximas ao prefeito afirmam que ele estaria sofrendo de depressão.

Fonte: Diário Cariri/Diário do Nordeste
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK