terça-feira, 2 de agosto de 2016

Amargosa: Suspeito de tocar fogo em delegacia após morte de criança em 2014 é preso.

Um traficante suspeito de ser um dos autores do incêndio contra a delegacia de Amargosa, cidade distante cerca de 250 km de Salvador,após a morte de uma criança em 2014, foi preso nesta terça-feira (2). Conforme a Polícia Civil, o homem foi localizado na casa onde morava, com um revólver calibre 38, seis munições intactas e 14 pedras de crack.

Sérgio Cristiano Souza Galvão era procurado por integrar o grupo que incendiou a delegacia, libertou 16 presos e queimou 30 motos e 18 carros. As ações ocorreram após dois policiais terem iniciado uma perseguição a um assaltante, que teria ligação com o tráfico de drogas. Durante as buscas, o suposto criminoso invadiu a casa de uma família e, na tentativa de atingir o suspeito, um dos agentes acertou um tiro em uma criança. Após o caso, traficantes causaram pânico no município com diversos ataques criminosos.

Conforme a Polícia Civil, além da suspeita de ser um dos autores do incêndio contra a delegacia, Sérgio é integrante da mesma quadrilha de um rapaz preso na mesma operação horas antes da ação desta terça-feira. Ambos seriam suspeitos de participar do assassinato de um rapaz em 25 de julho deste ano, crime motivado pela disputa por pontos de venda de drogas.

Veículos ficam totalmente destruídos em Amargosa, na Bahia (Foto: Danilo Cardoso/Arquivo Pessoal)Veículos ficam totalmente destruídos por bandidos
(Foto: Danilo Cardoso/Arquivo Pessoal)
Sérgio está custodiado na carceragem da Delegacia de Amargosa, onde está à disposição da Justiça. A unidade policial foi inaugurada em 4 de agosto de 2014. A antiga delegacia, que foi incendida, foi desativada por risco de desabamento. 

Caso
Após a morte de uma menina de um ano de idade, um grupo invadiu e destruiu a delegacia da Polícia Civil da cidade de Amargosa, no dia 16 de julho de 2014, além de promover diversos atos de vandalismo na cidade. À época, uma moradora do local, que preferiu não se identificar disse que a ação dos criminosos ocorreu por conta de uma ação da polícia.

O policial civil suspeito de atirar e matar o bebê foi transferido para a cidade de Castro Alves. Ele também atuava como vereador na cidade de Cachoeira, no recôncavo baiano, e pediu o afastamento da Câmara de Vereadores após o ocorrido. O policial negou ter atirado na vítima

A delegada Glória Isabel Santos Ramos, titular da Polícai Civi em Amargosa quando os ataques aconteceram, foi transferida da cidade logo após a ação.

Ônibus incendiado em Amargosa em 2014 após ataque à delegacia (Foto: Danilo Cardoso/Arquivo Pessoal)
Delegacia foi incendiada e desativada em Amargosa após ataques (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Após ataques e morte de criança em Amargosa, populaçõa fez protestos (Foto: Ruan Melo/G1)
Morador mostra foto da criança que foi morta após ação da polícia (Foto: Ruan Melo/G1)
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK