Anuncio

Um adolescente de 17 anos confessou ter assassinado duas garotas na comunidade rural de Linha do Encantilado, em Cruz Machado, no sul do Paraná. O caso foi elucidado pela Polícia Civil após oito meses de investigação. O suspeito, que trabalhava como agricultor, teria assassinado a primeira vítima porque não era correspondido. Já a amiga dela, teria sido morta por ter desconfiado do jovem.

Segundo a polícia, o adolescente informou que era apaixonado por Camile Loures das Chagas, de 13 anos, mas, como era humilhado por ela, decidiu matá-la. A garota desapareceu em dezembro de 2015. Já em abril deste ano, Solange Roseli Vitec, de 17 anos, amiga de Camile, também desapareceu. O adolescente disse à polícia que matou a vítima porque o acusou de ter assassinado Camile.

Ainda de acordo com a polícia, os investigadores trabalharam com diversas linhas de investigação, inclusive a possibilidade de as garotas estarem trabalhando como prostitutas em São Paulo. O caso teve reviravolta em 8 de junho, quando foi encontrada uma ossada. Indícios apontavam que se tratava de Solange, pelas roupas, mochila e pertences. Em 12 de agosto, agricultores encontraram um crânio, ossos de braços e pertences que seriam de Camile, a primeira vítima desaparecida.

Durante novos depoimentos, o adolescente entrou em contradições e acabou confessando. Ele contou que as duas foram mortas por asfixia. A primeira com as mãos do suspeito e a segunda, com a própria calça. O agricultor negou ter cometido abuso sexual contra as jovens. A polícia vai aguardar os resultados dos exames nas ossadas e investiga se o adolescente agiu sozinho. O suspeito não tinha passagem e foi encaminhado a um CIS (Centro de Integração Social). CDP

Postar um comentário

 
Top