terça-feira, 29 de novembro de 2016

Três jogadores da Chapecoense sobrevivem a acidente aéreo.

RIO — Pelo menos três jogadores da Chapecoense sobreviveram à queda do avião que transportava o time nesta terça-feira na Colômbia. O lateral-esquerdo Alan Ruschel e os goleiros Jackson Follman e Danilo estão entre as cinco pessoas resgatadas com vida. O fisioterapeuta Rafael Gobbato e o jornalista Rafael Henzel também estariam vivos, segundo relatos de agências de notícias.

Henzel publicou em seu Facebook uma foto do momento em que os jogadores da Chapecoense se preparavam para decolar, já dentro do avião. Segundo a rede de TV colombiana “Teleantioquia” ele foi levado para o Hospital San Juan de Dios, mas não há informações sobre seu estado de saúde.

A aeronave da companhia Lamia com 72 pessoas a bordo e nove tripulantes perdeu contato com a torre de controle ao sobrevoar o município de La Ceja, perto de Medellín, no Noroeste da Colômbia, por volta de 22h15 (hora local). O avião teria sofrido falha elétrica.

Mais cedo, autoridades disseram que era inegável que o número de mortos do acidente seria alto. Na aeronava, estavam a delegação da Chapecoense e jornalistas brasileiros, durante voo a caminho de Medellín. Seis pessas foram resgatadas até o momento com vida, disse o chefe da agência de aviação civil do país. As operações de resgate estavam sendo prejudicadas pela chuva forte na região.

Os jogadores decolaram do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, na segunda-feira e chegaram a fazer escala técnica em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, antes de seguir para seu destino. A delegação da Chapecoense teve que mudar seu plano de voo por uma decisão da autoridade da aviação brasileira, que o impediu de se ir para Medellin em um avião fretado.

A operação de resgate no local do acidente com o avião da Chapecoense na Colômbia foi suspensa nas primeiras horas da manhã desta terça-feira devido à forte chuva na região, informou o aeroporto de Medellín. A Aeronáutica da Colômbia informou que instalou um centro de controle no terminal aéreo por conta do acidente.

O prefeito de Medellín disse através de seu perfil no Twitter que a prefeitura disponibilizou a rede de hospitais e enviou uma equipe do Departamento Administrativo de Gestão de Risco e Desastre ao local do acidente.

A equipe da Chapecoense disputaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra Atlético Nacional, na quarta-feira, em Medellín. O GLOBO



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK