Anuncio

Após 30 horas de viagem da capital cearense, Fortaleza, a Luís Eduardo Magalhães, na região oeste da Bahia, Safira Dementino Avelino, de 19 anos, mãe da pequena € Yankka Avelino Martins, de dez meses, sequestrada pelo próprio pai Carlos Henrique Martins de Araújo, de 36 anos, no início do mês de abril, desembarcou na rodoviária de LEM por volta das 14h, de ontem sábado, 6, com duas tias que lhe acompanharam na viagem e foi calorosamente recebida por amigos e familiares.

A família passou ao menos 30 dias de angústia sem saber onde Yankka estava. As matérias publicadas pela imprensa repercutiram e a família recebia várias ligações com pistas sobre o paradeiro da menina.

"Recebi uma ligação do entroncamento de Santa Rita, em Riachão das Neves, onde Carlos teria dado carona a uma senhora. Em seguida recebi uma ligação do Piauí informando que tinha visto ele com a menina em uma agência bancária e por fim no dia 25 recebemos uma denúncia anônima e desconhecida de uma pessoa que nunca mais entrou em contato dizendo que em Fortaleza teria visto Carlos Henrique e a menina. Daí então para nossa sorte, o Carlos mandou uma foto de Yankka para sua ex-mulher onde aparecia o prédio que ele estava hospedado, foi quando tudo veio à tona", contou Safira.

Durante esse período, que Yankka estava desaparecida, a polícia civil de LEM teve conhecimento do caso e o delegado responsável Joaquim Rodrigues, juntamente com sua equipe, estava investigando constantemente o paradeiro de Carlos Henrique obtendo assim êxito na ilucidacao do caso.

Safira embarcou com duas tias na última quarta-feira, 3, até Brasília de onde no dia seguinte pegou um avião para Fortaleza para reencontro com a sua filha. Yankka foi resgatada em um apartamento por policiais civis de Fortaleza após a polícia civil de LEM passar todas as informações do local onde estava o pai da criança.

Já ontem sábado, 6, familiares receberam Safira e Yankka em sua casa na Rua Teixeira de Freitas, no bairro Santa Cruz. Houve comemoração e fogos de artifício. Carlos Henrique, pai de Yankka, foi levado para uma delegacia em Fortaleza, assinou um termo de ajustamento de conduta (TAC) e foi liberado. O inquérito corre na delegacia de polícia de de Luís Eduardo Magalhães. Fonte: Reportagem de Weslei Santos/Blog do Sigi Vilares



Postar um comentário

Pesquisar este blog

 
Top