Anuncio

A família de Gabrielly Gomes de 7 anos, entrou com um pedido na vara do júri de Feira de Santana, solicitando a exumação do crânio que foi identificado como da garota e pedindo novos exames de DNA. Gabrielly desapareceu em 21 de janeiro de 2017, quando brincava perto de casa em um residencial no Bairro Gabriela e no dia 14 de fevereiro, um crânio foi encontrado no Anel de Contorno, perto do Conjunto Feira IX , a cerca de 5 Km de distância de onde ela desapareceu. 
O crânio foi enviado para realização de exames técnicos e no dia 26 de abril, em uma coletiva de imprensa, a Polícia Civil de Feira de Santana informou que após exames de DNA, foi feita a constatação deque o crânio era de Gabrielly. A investigação sobre o desaparecimento da criança continua e nesta semana a polícia também divulgou que trabalha com a hipótese de que o desaparecimento possa ter relação com crime sexual e que ela tenha sido estuprada. 
Os restos mortais da garota foram enterrados no dia 28 de abril em Feira de Santana, com muita dificuldade, após um problema com a assinatura no laudo da morte e o caso encheu de comoção a população da cidade. Familiares e amigos ficaram muito tristes e buscaram em mensagens religiosas e de esperança conforto principalmente para os pais da criança. O inquérito ainda não foi concluído e o pai de Gabrielly, o pedreiro Joilson Santana, afirmou que entrou com o pedido de exumação do crânio, após o enterro da filha, quando parou para ver fotos da menina e compará-las com fotos do crânio encontrado. 

Segundo ele, na foto do cartaz do desaparecimento de Gabrielly, feita em 29 de dezembro de 2016, a filha estava sem alguns dentes. Ela estava em processo de troca de dentição e faltavam dentes inferiores. Nas fotos do crânio, enviadas à família pela polícia, de acordo com Joilson, o crânio está com todos os dentes. Ele contou que essa análise das fotografias, lhe motivou a entrar com o pedido de exumação e a ter esperanças que o crânio não seja de Gabrielly e que ela não esteja morta. "Eu senti muita dor no dia do enterro. Fiquei muito abatido. 
Quando me falaram que era o crânio da minha filha fiquei muito chocado e depois de dois dias fui olhar as fotos. Vi a diferença, coloquei uma foto em cima da outra e achei que não poderia ser da minha filha. Na foto que foi tirada dia 29 de dezembro ela estava sem os dentes e na foto do crânio estão todos os dentes. Então consultei meu advogado e ele entrou com o pedido. 

Tenho esperança e nunca deixei de ter fé que minha filha pode estar viva. Já vão completar seis meses e até agora não sabemos sobre a autoria do crime. Vamos ver se um novo exame de DNA, comparando as fotos comprova o que houve", declarou. O advogado da família de Gabrielly, Ederson Giacomose Reis que entrou com um pedido na vara do júri para exumação do crânio, explicou que a ação foi encaminhada à justiça e aguarda a decisão da juíza Márcia Simões Costa. "A juíza determinou que oficializássemos à delegacia apresentando os documentos. Ela que virá a decidir sobre o meu requerimento em relação à perícia. A exumação só vai acontecer depois que todas as peças do inquérito chegarem à juíza. Ela que poderá decidir uma data", acrescentou. Fonte: Acorda Cidade.

Postar um comentário

Pesquisar este blog

 
Top