VÍDEO: Edital de Prefeitura pede caixões tamanho “gordo, baleia”. - MACAUBENSE LIFE

Agora

sexta-feira, 11 de maio de 2018

VÍDEO: Edital de Prefeitura pede caixões tamanho “gordo, baleia”.


A Prefeitura de Três Corações (MG) publicou um edital que tem causado polêmica na internet. No texto, os termos 'gordo' e 'baleia' aparecem como referência de tamanho na licitação de caixões funerários. Em nota, a gestão se desculpou e negou que as palavras tenham sido usadas de forma pejorativa ao peso das pessoas que a utilizarão.


De acordo com a prefeitura, a expressão publicada no diário oficial seria utilizadas no meio funerário e pelos próprios fabricantes de urnas. “Vários órgãos federais, estaduais e municipais utilizam-se dessa denominação, inclusive a Marinha do Brasil a utilizou em seu Pregão nº 023/2017".




No texto do edital, as referências são usados para caixões de 1,90 centímetros de comprimento e 60 centímetros de largura. Para evitar futuros transtornos, a prefeitura informou ainda que vai procurar "outros fornecedores que utilizem nomenclaturas politicamente corretas". O edital foi retirado do ar.

Leia a nota na íntegra: “O Poder Executivo de Três Corações esclarece que os termos ‘gordo, baleia’, utilizados no processo Licitatório de Serviço Funerário, referem-se aos tipos e denominações de urnas e não guardam quaisquer referências pejorativas ao peso das pessoas que a utilizarão. Essa nomenclatura provém dos próprios fabricantes de urnas, tratando-se de terminologia regular e comum no meio funerário. Vários órgãos federais, estaduais e municipais utilizam-se dessa denominação, inclusive a Marinha do Brasil a utilizou em seu Pregão nº 023/2017.
Dessa forma, o Poder Executivo de Três Corações nunca teve o intuito de ofender ou causar constrangimento a qualquer pessoa, agindo estritamente dentro dos limites legais. Contudo, caso qualquer cidadão tenha se ofendido, receba nesta oportunidade, formalmente, o pedido de desculpas do Município que, para evitar futuros transtornos, procurará outros fornecedores que se utilizem de nomenclaturas politicamente corretas, obviamente respeitando o princípio licitatório da busca pelo menor preço”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário