“Mereço a morte só porque sou negra?”, desabafa cabeleireira vítima de racismo em Salvador - MACAUBENSE LIFE

Agora

quarta-feira, 25 de julho de 2018

“Mereço a morte só porque sou negra?”, desabafa cabeleireira vítima de racismo em Salvador


A cabeleireira Iaina Fernanda Pereira, de 26 anos, que foi agredida verbalmente e chamada de “macaca” através de um aplicativo de celular, prestou novo depoimento ao Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA), nesta quarta-feira (18) e contou que foi ameaçada de morte pelo agressor. Em entrevista exclusiva ao Varela Notícias, Iaina contou com detalhes sobre o momento em que foi abordada pelo agressor.

Na madrugada do dia 09 de julho, Iaina recebeu uma mensagem, através do WhatsApp, de um suposto cliente, dizendo que tinha uma irmã interessada em comprar cabelo. No mesmo instante, ele começou a proferir xingamentos e chegou a dizer que ela merecia a morte.
O mesmo número também entrou em contato com o auxiliar de vendas, Marcos Vinícius, de 18 anos, que mora em Jundiaí, município situado no estado de São Paulo, e fez agressões parecidas.

“Estava vendendo um celular e divulguei meu número através do Facebook e OLX. O mesmo agressor começou a me xingar e me bloqueou no aplicativo, mas decidi não denunciar, pois estou com cabeça muito cheia para me preocupar com esse tipo de gente”, relatou a segunda vítima, em depoimento.

Casada e mãe de um menino de 2 anos, Iaina contou que depois das ofensas passou um tempo sem conseguir trabalhar e disse que o agressor também divulgou o número dela anunciando que ela fazia programa por R$ 20. “Recebi ligações de pessoas interessadas em programa, que me pediram desculpas depois”, relatou.

“Tinha medo de divulgar novamente o meu trabalho nas redes sociais, mas esse caso me deu força para lutar. Muitas pessoas me procuraram para contar que estavam passando pela mesma situação, mas não sabia como agir”, disse.
O número do agressor foi identificado com DDI da Virgínia, nos Estados Unidos, mas ele se identifica como paulista. “O número não existe mais. Foi deletado. Na foto do perfil, ele colocou a imagem de um cirurgião famoso em São Paulo”, mostra Iaina.

“Já sofri racismo, mas não dessa forma tão pesada. Não tenho ódio dele, mas queria entender o motivo dele fazer isso comigo. As pessoas fazem isso porque acham que existe impunidade. Eu tenho noção do meu peso e da minha cor, mas há meninas que estão em fase de construção da identidade, que não se aceitam. Imagina como seria se ele xingasse uma pessoa assim?”, analisa. “Pessoas que fazem o mal não merecem a morte. Eu, que estava trabalhando, por que ia merecer? Mereço a morte só porque eu sou negra?”, questiona Iaina, enquanto aguarda o resultado das investigações.

Nenhum comentário:

Postar um comentário