Após 12 anos seca, Codevasf recupera Lagoa do Açude de Macaúbas no sudoeste baiano - MACAUBENSE LIFE

Agora

Post Top Ad

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Após 12 anos seca, Codevasf recupera Lagoa do Açude de Macaúbas no sudoeste baiano

A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) recuperou a Lagoa do Açude do município de Macaúbas, no sudoeste da Bahia, a partir de investimentos de R$ 1,5 milhão destinados à empresa pública por meio de emendas parlamentares. O projeto foi realizado em duas etapas, a primeira por meio de execução direta da Companhia e a segunda por meio de convênio com a prefeitura municipal. A infraestrutura hídrica foi construída na década de 1930 pela antiga Inspetoria Federal de Obras contra as Secas (Ifocs), hoje Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), e havia secado há pelo menos 12 anos.




A ação trouxe ânimo à população local, que tem na fonte hídrica a principal forma de abastecimento de água e de geração de renda. “Não existe palavra que consiga traduzir a importância dessa lagoa para a população local. A gente sente nos olhos dos moradores a emoção quando se fala em qualquer benefício para a Lagoa do Açude. Como cidadão daqui, gostaria de agradecer o empenho e a presença da Codevasf, que foi de uma eficiência muito grande do início ao final da obra”, afirmou o morador Osvaldo Oliveira. Atualmente, a população atendida pelo abastecimento de água chega a aproximadamente 50 mil pessoas.

“Aqui era considerado um oásis da região porque fornecia verdura, como batata e abóbora para a região toda, além do peixe. Dava trabalho para muita gente, além do sustento direto para as suas mesas. Todos usavam os benefícios da água do açude, que também proporcionava lazer para a população de Macaúbas”, disse José Oliveira, morador local.

Para o vereador e morador local, Marcelo Nogueira, de Macaúbas, os investimentos da Codevasf para recuperação da Lagoa do Açude poderão colocá-la novamente como importante fonte de trabalho e renda na região. “A verdura produzida aqui nessa lagoa era fornecida para toda a região. O peixe que saía para os municípios vizinhos também era pescado aqui na Lagoa do Açude. Agora a Codevasf está dando um suporte muito bom com o fornecimento de 15 mil alevinos e a revitalização de toda a parede da barragem. Macaúbas depende bastante dessa lagoa. No passado, a geração de emprego e renda vinha 50% do açude”, contou.

O técnico da Codevasf Sérgio Farias acompanhou a execução da obra nas duas etapas do projeto. Para ele, a recuperação da infraestrutura hídrica retorna a finalidade do açude, que, após secar, estava sendo utilizado para outros fins, em vez de servir para dessedentação animal, irrigação e agricultura de subsistência das populações ribeirinhas. “O nível de chuvas diminuiu bastante nos últimos 20 anos. Com isso, houve assoreamento local, afundamento do coroamento, erosões, excesso de vegetação e os problemas estruturais ocasionados pela falta de manutenção. Como o açude não estava acumulando água, começaram a usar a área do reservatório para agricultura e pecuária. Não estava sendo utilizado para o real objetivo de acumulação de água”, relatou.

Segundo o superintendente regional da Codevasf em Bom Jesus da Lapa, Harley Nascimento, a obra foi executada em duas etapas. Na primeira etapa, por meio da contratação de empresa por meio de licitação, a Companhia atuou basicamente na estrutura da barragem. “Foi realizada a recuperação do coroamento, que estava danificado com ondulações, e do meio-fio com a retirada de árvores que prejudicavam a estrutura. Também foram colocados os portões de acesso para evitar a passagem de carros e caminhões que danificavam a estrutura e realizada a limpeza do vertedouro e a retirada da vegetação excedente”, explicou.

Já a segunda etapa, foi executada a partir de convênio com a prefeitura de Macaúbas. “Essa etapa teve um foco maior na limpeza de toda a bacia e no desassoreamento, tirando todo o excesso e aprofundando o reservatório. E, para a nossa felicidade, com a vinda das chuvas, o resultado foi positivo. A barragem começou a acumular água e o nível está subindo. Algo que a população não via há muitos anos. Nós revitalizamos esse rio, limpamos toda a calha, desde a nascente até a barragem. Também realizamos o desassoreamento e alargamos a calha do rio Riachão em mais de 10 metros, aumentando também a profundidade em cerca de quatro metros”, revelou o superintendente regional.

Para o prefeito de Macaúbas Amélio Costa Júnior, o resultado da parceria entre o Governo Federal, por meio da Codevasf, e o executivo municipal com a recuperação do açude trouxe condições que a população permaneça no município e tenha acesso à água para consumo e para produção agropecuária.

“Essa obra era um anseio de toda a população. A Codevasf fez a primeira etapa através de um contrato e depois unimos esforços na segunda, por meio de um convênio. Uma lagoa que há mais de uma década não recebia água, hoje já conta com uma quantidade de água razoável. Agradecer à Codevasf. Essa parceria com o município é muito importante e deve ser mantida para beneficiar a nossa população. Nosso sonho é que as pessoas que saem daqui para cidades maiores para trabalhar, para buscar um sustento, posam continuar vivendo, sustentando suas famílias aqui”, comemorou o prefeito do município.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad