Morta pelo EX: Há 2 meses separada, Paloma sonhava em montar casa para viver com filhos - MACAUBENSE LIFE

Agora

Post Top Ad

domingo, 13 de dezembro de 2020

Morta pelo EX: Há 2 meses separada, Paloma sonhava em montar casa para viver com filhos


Paloma Cristina de Oliveira Pereira, de 28 anos, era a filha caçula de uma família de três irmãos que saíram do Rio de Janeiro ainda crianças com os pais, para morar no interior de Ibatiba, Região do Caparaó no Espírito Santo. A jovem tinha três filhos e sonhava em montar sua casa para morar em paz com as crianças, longe da violência. 

Esses planos, no entanto, foram interrompidos quando o ex-marido, que não aceitava o fim do relacionamento, assassinou Paloma a facadas na madrugada do dia 06 de dezembro. Fabiano Gomes Brito, de 32 anos, foi preso um dia após o crime. Ele se entregou na delegacia de Ibatiba, acompanhado de um advogado.

Irmão mais velho de Paloma, Rodrigo Cassimiro de Oliveira, de 36 anos, conta que a irmã ainda criança veio morar no Espírito Santo, mas no início da adolescência voltou a residir no Rio de Janeiro. “Nesta época, por volta dos 14 anos, conheceu Fabiano. Decidiram morar juntos por lá um tempo. Ele já era ciumento e chegou a brigar com um ex de Paloma, ameaçando o homem com faca”, relata. 

Depois que deixou o Rio de Janeiro, o casal foi morar em Criciúma, localidade de Ibatiba, com as crianças. 

Rodrigo Cassimiro de Oliveira
Irmão da vítima 

"Fabiano era um cara frio, calmo, fechado. Eles tinham brigas, chegou a agredir minha irmã e quase agrediu minha mãe também. Depois disso, Paloma foi morar com a mamãe, mas ele vivia perturbando e eles reataram. Eu brigava com ela, para dar um basta nisso"

Há dois meses, finalmente, a lavradora colocou fim à relação com Fabiano. "Nesses dois meses, que estava separada, sonhava em montar a casinha dela para morar tranquila com as crianças, sem violência", conta Rodrigo. 

Recentemente Paloma também conseguiu um trabalho como auxiliar no transporte escolar, mas, por conta da pandemia do novo coronavírus, o trabalho foi suspenso e estava recebendo auxílio emergencial. “Montei um churrasquinho no bar, fazia algumas coisas para sempre incluir ela e oferecer um trabalho", acrescenta o irmão.

No dia do crime, Rodrigo lembra que Paloma estava feliz. Havia saído pela primeira vez com um rapaz. Com ele, chegou a passar pelo bar de Rodrigo, na localidade de Santa Clara, dançou e brincou com amigas que estavam no comércio do irmão. Mas logo depois teve os sonhos e a vida interrompidos pelo ex-marido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad