Funkeiro cria música e vaquinha virtual para menino preso em tonel e arrecada mais de 38 mil. - MACAUBENSE LIFE

Agora

Post Top Ad

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Funkeiro cria música e vaquinha virtual para menino preso em tonel e arrecada mais de 38 mil.


O cantor e compositor Diogo da Silva Caetano, de 31 anos, conhecido como MC Di Magrinho, criou uma música e uma vaquinha virtual para arrecador doações em benefício do menino de 11 anos que foi resgatado de um tonel onde era mantido acorrentado e sem alimentação pela família, em Campinas, no dia 30 de janeiro. A publicação viralizou e a arrecadação havia atingido cerca de R$ 38,8 mil até o início da noite desta quarta-feira (3).

Di Magrinho, que mora em Jundiaí, cidade próxima de onde mora o menino, disse que tomou conhecimento do caso na internet e buscou informações sobre a história do garoto em reportagens. Pai de dois meninos, de dez e três anos, o cantor revelou ter se sensibilizado e desenvolvido a letra em poucos minutos.

"Tenho conhecidos e já gravei um clipe no bairro do menino, o Jardim Itatiaia, em Campinas. Sempre fiz músicas com coisas reais. Canto funk, mas gosto de fazer bastante rap. Já estava com a música pronta", contou. "Vi o rosto do menino. Na hora, você lembra do seu filho. Quando vi o caso, é uma coisa muito louca, construi a música na hora. Veio a ideia e escrevi e 1h30 com um 'beat' que peguei do YouTube", completou o cantor.
O sucesso da campanha fez o músico repensar a forma como o dinheiro será entregue ao garoto para que seja corretamente utilizado na sua recuperação física e também emocional do garoto.

"Na minha mente, daria dar uns R$ 2 mil ou R$ 3 mil. Assim que o moleque tiver alta, [estiver] em um abrigo ou com a família, vou lá e compro roupas ou uns brinquedos, guloseimas. Mas começou a tomar uma proporção muito grande. O vídeo no Facebook está quase com 1 milhão [de visualizações]. No Instagram, bateu 200 mil".

Inicialmente, o cantor pensou em pedir doações em depósitos bancários, por meio de Pix, mas desistiu por entender que tal atitude geraria desconfiança nas pessoas e dificuldades no acompanhamento do destino dos recursos obtidos. Porém, Di Magrinho disse ter ficado surpreso com a repercussão alcançada.

MC Di Magrinho revelou ainda que tem mandito contato com policiais militares, conselheiros tutelares, polítcos locais e vizinhos da criança para definir a melhor forma de encaminhar as doações. Ele afirmou que o receio que o menino seja vítima de aproveitadores também é levado em consideração para a tomada de decisão.

"Cheguei à conclusão que vou acabar mandando o dinheiro mensalmente, assim que ele sair do hospital, ver onde ele vai ficar, fazer uma compra todo mês de comida, alimentação e remédios. O que ele precisar até acabar esse dinheiro. Acredito que, de imediato, é preciso fazer o moleque se sentir importante de novo, ter um lazer, uma coisa legal. Tenho certeza que Deus vai direcionar a estratégia certa", finalizou MC Di Magrinho.

A vaquinha virtual, que está disponível até o dia 1º de março, já possui mais de 270 apoiadores. O endereço é: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/direcionado-ao-menino-que-estava-trancado-em-um-barriu-pelo-pai

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad