SIMÕES FILHO-BA: Corpos achados algemados na Via Parafuso eram de vigilante, mecânico e jovem - MACAUBENSE LIFE

Agora

Post Top Ad

sábado, 26 de fevereiro de 2022

SIMÕES FILHO-BA: Corpos achados algemados na Via Parafuso eram de vigilante, mecânico e jovem


Quando saiu de casa na tarde desta quinta-feira (24), o vigilante Luís Fabiano Silva Logo, 42 anos, foi a um leilão na cidade onde morava, em Simões Filho, Região Metropolitana de Salvador. A família o esperava antes do anoitecer, mas ele não voltou. Luís Fabiano e outros dois homens foram sequestrados no local e levados para a BA-535, a Via Parafuso, onde foram executados no mesmo dia com mais de 10 perfurações de tiros cada um.

Os corpos foram encontrados dentro de um veículo. As mãos estavam para trás e com algemas de plástico, usadas normalmente por policiais. “As fotos dos corpos começaram a circular nos grupos de Whatsapp e quando me mostraram, tinha certeza que era o meu marido. O homem morto estava com as mesmas roupas que Luís usou quando saiu de casa”,
afirmou a mulher de Luís Fabiano, Rosângela Lima Silva Pimenta, pouco depois de deixar a 22° Delegacia (Simões Filho) rumo ao Instituto Médico Legal Nina Rodrigues para liberação do corpo.

Além de Luís Fabiano, morreram Jônatas Nascimento dos Santos, 19, e um mecânico, conhecido como Quinho. A reportagem procurou a Polícia Civil para saber o andamento da investigação, mas até o momento não há respostas.

Tiros
Luís Fabiano estava em casa, no centro da cidade, quando decidiu ir com Quinho para um leilão de carros que aconteceu nas imediações da Ceasa de Simões Filho. “A descarga do nosso carro precisava ser soldada e meu marido pediu para Quinho fazer o serviço. Mas Quinho estava com outros compromissos e pediu para o meu marido acompanhá-lo até o leilão e lá faria a soda”, contou Rosângela.

Segundo ela, o marido estava com o mecânico e o rapaz ainda dentro do leilão quando foram surpreendidos pelos criminosos, por volta das 17h. “Contaram pra mim que três homens chegaram em carro e a abordaram eles. Disseram que foram algemados lá mesmo e depois colocados dentro de um carro.Quando anoiteceu, comecei a ficar preocupada, porque meu marido sempre avisava quando ia demorar. Quando liguei para o celular dele, alguém atendeu e ficou mudo e em seguida desligou. Depois só deu caixa. Foi quando as fotos deles mortos começaram a circular”, disse ela, emocionada.

Os três corpos foram encontrados por populares por volta das 19h no KM 20 da Via Parafuso. O vigilante usava uma camiseta e short rosa e estava de bruços ao lado de um carro da marca Jac Motors. O mecânico também deitado com o peito e rosto para baixo. Ele estava no banco de trás, junto com o terceiro corpo. O carro seria do mecânico. De acordo com policiais militares que estiveram na cena do crime, as vítimas apresentavam mais de dez perfurações.

Luís Fabiano trabalhava como vigilante numa Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Simões Filho. Pai de três filhos, sendo a caçula uma menina de um ano e dez meses, ele foi bombeiro civil há cerca de 10 anos. Rosângela acredita que o marido estava no lugar errado e na hora errada.

“Eles queriam alguma coisa com o mecânico ou com o rapaz e o meu marido acabou indo no bolo .Meu marido era uma boa pessoa. Fazia trabalho voluntário doando sopa e comida para moradores de rua através de uma equipe de bombeiros civis voluntários de Simões Filho”, declarou Rosângela.

A reportagem falou com uma tia de Jônatas. “Eu não tenho muito o que falar sobre o assunto porque não vivia com ele, moro distante e por isso não tinha tanta aproximação. Mas a família que quer entender o que aconteceu, quer justiça”, desabafou Elisângela Ramos dos Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário