"Seu desgraçado preto", diz passageira após motorista de transporte por aplicativo se negar a fazer manobra indevida em Salvador; assista - MACAUBENSE LIFE

Agora

Post Top Ad

quarta-feira, 7 de julho de 2021

"Seu desgraçado preto", diz passageira após motorista de transporte por aplicativo se negar a fazer manobra indevida em Salvador; assista


A 16ª Delegacia Territorial, no bairro da Pituba, em Salvador, investiga o caso de racismo sofrido por um motorista de transporte por aplicativo ocorrido, na terça-feira (6/7), na capital baiana. O condutor Nelson Morais, relatou que foi humilhado e vítima de injúrias raciais, após negar o pedido de manobra indevida, solicitado pela cliente.

"Eu peguei a passageira em frente ao Shopping da Bahia com destino ao Shopping Salvador. Entretanto. ela queria que eu saísse da marginal e fosse para a principal pelo canteiro, pela calçada. Quando eu disse que não ia fazer isso ela começou a me ofender", explicou a vítima ao Aratu On.

Imagens registradas pelo celular de Nelson comprovam a agressão. Diante da situação, o motorista decidiu deixar a usuária da plataforma no mesmo local em que ela fez a solicitação do serviço.

Insatisfeita, a mulher acusou o condutor de receber o "dinheirinho" sem deixá-la no destino solicitado. Na gravação, é possível ver, ainda, que ao sair do carro, ela, que estava acompanhada por uma criança, chama a vítima de “desgraçado preto".

"Apesar de você não me levar ao endereço você ainda ganhou um dinheiro. Esse filho da p*** tem que tá na merda. Ele não fez a corrida e encerrou a corrida. Eu vou fazer uma reclamação de você", diz a passageira.

Nelson relatou, que apesar de ter reportado o caso à Uber, obteve, apenas, uma mensagem automática, como resposta, alegando que repudia a qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo e que nenhum apoio foi fornecido até a manhã desta quarta-feira (7/7).

A equipe de reportagem tentou entrar em contato com a Uber, mas até o fechamento dessa matéria não obteve retorno.

Informações preliminares dão conta de que a mulher teria fugido para a terra natal, em Fortaleza. Em nota, a Polícia Civil informou que o caso está sendo investigado que que a 16ª Delegacia Territorial solicitará o nome da usuária a plataforma de aplicativo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Bottom Ad